Amélia, mulher? De verdade? Sim!

http://batom.spaceblog.com.br/95937/Amelia-ela-que-era-a-mulher-de-verdade/

Amélia, ela que era a mulher de verdade???????????
Ai, que saudades da Amélia (Ataulfo Alves e Mário Lago)

Nunca vi fazer tanta exigência
Nem fazer o que você me faz
Você não sabe o que é consciência
Nem vê que eu sou um pobre rapaz
Você só pensa em luxo e riqueza
Tudo o que você vê, você quer
Ai, meu Deus, que saudade da Amélia
Aquilo sim é que era mulher
Às vezes passava fome ao meu lado
E achava bonito não ter o que comer
Quando me via contrariado
Dizia: “Meu filho, o que se há de fazer!”
Amélia não tinha a menor vaidade
Amélia é que era mulher de verdade

Sim, ela era mulher de verdade… calmaaaaa, feministas de plantão e amigas que me conhecem, não enlouqueci, leia o artigo inteiro para entender o porquê de eu ter respondido sim a pergunta do título.
Mario Lago, compositor da MPB, radialista, artista de teatro e TV, carioca nascido em 26/11/1911, escreveu esse poema popular em 1941, onde o protagonista desabafa e lamenta ter perdido sua mulher, a Amélia, agora está com uma mulher exigente e egoísta que só pensa em riqueza e luxo, no poema ele faz uma reflexão contrastando a mulher atual com a do passado, o modelo de mulher perfeita dos anos 40, essa melodia ganhou vida na voz de Ataulfo Alves…. simmm… Batom também é cultura…rs…
Quando eu ouvia o termo mulher Amélia um arrepio percorria toda a minha coluna vertebral, pois a imagem que temos (eu tinha… no passado) é de uma mulher submissa, que não tem opinião e muito menos “querer”, fraca.. uma mulher que veio ao mundo para lavar, passar, cozinhar e gerar filhos (sem prazer… que horrorrrrr), em resumo uma “monga”… pois é, usamos esse termo frenquentemente para denominar este tipo de mulher, porém quando nos aprofundamos na história para conhecer quem era a Amélia, descobrimos que estamos enganados, que a Amélia na verdade, nasceu de uma brincadeira de Almeidinha, irmão de Araci de Almeida, (artista da música brasileira, tô revirando o baú … hein…) que sempre que se falava em mulher, ele brincava dizendo: “’Qual nada, Amélia é que era mulher de verdade. Lavava, passava, cozinhava….’’ Então, Mario Lago, achou original aquela frase e pensou que isso daria uma boa melodia; Na realidade a Amélia era uma lavadeira que servia à família de Almeidinha, mulher lutadora, que sustentava nove filhos….(caraca noveeeeeeee…… e viva a Televisão!!!!) ou seja, nada tinha de fraca a Amélia, ela era uma mulher forte que trabalhava, ganhava seu dinheiro e cuidava da educação de nove filhos.
Hoje, ao contrário do que pensamos estamos rodeadas em nossos ambientes corporativos de Amélias, mulheres executivas, que trabalham, ganham seu dinheiro, estudam, cuidam de seus filhos, cuidam de suas casas e de seus maridos, são mulheres, filhas, irmãs, amigas, mães, amantes e tudo isso com otimismo e bom humor.
Óbviamente que a tecnologia hoje nos favorece, e cada vez mais automatizamos os nossos afazeres, para tornarmos nossa vida mais fácil e agradável, porém a essência continua a mesma, mulheres lutadoras, batalhadoras, que fazem mil coisas de uma só vez, e veja só, as Amélias possuem muitas variações, como: Existem aquelas que não trabalham fora, mas estão em casa trabalhando duramente para cuidar de seus filhos e marido, das necessidades do lar, das finanças domésticas; Existem aquelas que ainda não tem filhos, mas que lutam hoje para dar um bom futuro à eles quando chegarem; Existem aquelas que não tem filhos e nunca terão, não tem marido e nunca terão, mas estão presentes e disposta a ajudar seus pais, seus irmãos, seus amigos, enfim, à quem precisar; Contudo concluímos que Amélias são mulheres que fazem diferença no mundo e no mundo de alguém!!!!!!! A única diferença que considero gritante entre a Amélia dos anos 40 e a Amélia atual é a vaidade, pois a vaidade naquela época era algo inexistente e apenas mulheres “da vida” se preocupavam com isso, hoje, já não é bem assim, pois se a mulher não possuir um pouco de vaidade, uma boa aparência, ela não conseguirá ser uma Amélia, pois não conseguirá credibilidade, e assim não conseguirá emprego, o mundo está mais exigente com as Amélias..rs…rs…rs…
Tenha orgulho de ser uma Amélia… ser dondoca, viver a vida de alguém por ter algum benefício em troca não está com nada… (nada contra quem gosta… mas me poupe…. Personalidade minha filha, Personalidade!!!)

Enfim, EU sou uma AMÉLIA de Baton e blush….rs…
Para saber mais da música e do compositor de Amélia: http://www.mpbnet.com.br/musicos/mario.lago/letras/ai_que_saudades_da_amelia.htm http://www.paixaoeromance.com/40decada/amelia41/hamelia.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(Spamcheck Enabled)