Amélia, de verdade, uma mulher

http://www.paixaoeromance.com/40decada/amelia41/hamelia.htm

Mário Lago um dos mais cultos compositores da MPB, além de radialista, artista de teatro e TV, carioca, nascido em 26/11/1911, ativista político, escreveu a letra, um verdadeiro poema popular onde um protagonista confronta sua atual mulher com sua ex, mulher que ele havia perdido; a atual, a quem o tal protagonista se dirige, é exigente, egoísta, “Só pensa em luxo e riqueza” enquanto a anterior é um exemplo de virtude e resignação – “Amélia não tinha a menor vaidade, (….) achava bonito não ter o que comer…”. A atual é a realidade incontestável, amarga; a ex é o passado, uma saudade idealizada na figura da mulher perfeita, segundo os padrões dos anos 40.
Este maravilhoso poema popular recebeu de Ataulfo Alves uma de suas melhores melodias, expressando musicalmente o espírito da letra; segundo Mário Lago, “Amélia nasceu de uma brincadeira de Almeidinha, irmão de Araci de Almeida, que sempre que se falava em mulher costumava brincar – ‘Qual nada, Amélia é que era mulher de verdade. Lavava, passava, cozinhava….'”. Então, Mario Lago
achou original aquela frase e que daria samba; na realidade Amélia era uma lavadeira que servia à família de Almeidinha, mulher lutadora, que sustentava nove filhos….
Com a letra pronta Mário pediu a Ataulfo que a musicasse; Ataulfo fez a tarefa mas mudou algumas palavras para dar “mais certo com a música” e aumentou de doze para quatorze versos, fato que desagradou Mario, mas  que acabou concordando.
Foi gravada pelo próprio Ataulfo pois nenhum dos grandes cantores da época aceitou gravá-la…
Acompanhado por um improvisado conjunto, batizado de Academia do Samba, onde Jacó do Bandolim participou da gravação fazendo a introdução. Foi tão grande o sucesso de público que seus autores resolveram inscrevê-la para o concurso de carnaval de 1942, que seria no estádio do Fluminense Foot-Ball Club, com o julgamento por meio de aplausos do público….
O outro grande sucesso e concorrente direto era “Praça Onze” de Herivelto Martins e Grande Otelo; mas como foi impossível saber qual das duas fora mais aplaudida a solução foi dar o premio de primeiro lugar às duas, fato que agradou toda a platéia….
O nome amélia passou a ser verbete de Dicionário, sendo citado nos dicionários Hoaiss e Aurélio, como sinônimo de “mulher amorosa, passiva e serviçal”.

Dárcio Fragoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(Spamcheck Enabled)