“Não foi para isso que nós lutamos pela democracia.”

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/raizes_da_grossura

Sábado, 10 de Dezembro de 2011   |   ISSN 1519-7670 –

Ano 16 – nº 671 – 06/12/2011

Circo da Notícia

HUMOR DE VESTIÁRIO

Raízes da grossura

Por Mauro Malin em 19/10/2011 na edição 664

A Veja São Paulo (5/10) deu capa para “O novo rei da baixaria”, Rafinha Bastos. Em reportagem extensa, condena o líder da “turma cada vez mais numerosa de comediantes fora de tom”.

É saudável que haja reação a esse tipo de manifestação. Como disse Marcelo Rubens Paiva (com outras palavras), não foi para isso que nós lutamos pela democracia.

Mas o indigitado Rafinha não caiu como raio em céu azul. Ele se nutriu numa poderosa vertente de grossura que faz parte da cultura (no sentido amplo da palavra) brasileira.

A própria Veja publicou, em maio de 2006, publicou uma capa apta a disputar qualquer concurso de grosseria:

 

O remédio mais civilizado para combater a grossura é pressão democrática sobre os patrocinadores. Faz falta uma campanha como a “Quem financia a baixaria é contra a cidadania”.

O Observatório da Imprensa na TV de terça-feira (18/10) foi dedicado a esse tema. Debateram Alberto Dines, Ziraldo, Guilherme Fiúza e Gilberto Maringoni.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(Spamcheck Enabled)